Indagações Pertinentes

Indagações Pertinentes

Poeta faz a sua autorreflexão por ocasião do seu aniversário no dia 16 de julho

"Afinal que Coronel sou eu?..."

publicidade

Afinal, que Coronel sou eu

e que comando tenho

sobre minha alma,

desguarnecida cidadela,

se dos mosquetões

só saltam flores

e há um pierrô de sentinela?

 

Afinal, que Coronel sou eu

se em meus regimentos

os frágeis regulamentos

se inscrevem em pautas

musicais?

 

Afinal, que Coronel sou eu

se meu ajudante de ordens

está camuflado de jasmim,

e no ardor das batalhas, eu

tendo um mal-me-quer

por medalha, abrindo janelas,

postigos, aos meus comandados

digo:- Plantem gerânios e trigo!

 

Afinal, que Coronel sou eu

se nos levantamentos que faço

vejo templos, canteiros, abraços,

e para minha promoção

não sonho mais estrelas

dos que as que brilham

em meu coração?


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895