Eleições: a desinformação nas campanhas eleitorais

Eleições: a desinformação nas campanhas eleitorais

Assunto ganhou mais importância no pleito deste ano. Saiba como denunciar

Correio do Povo

Em um mês o canal do WhatsApp com o TSE já recebeu 1037 denúncias

publicidade

Desde o início do pleito deste ano, que decide quem comandará as prefeituras e as câmaras municipais, a Justiça Eleitoral tem desenvolvido uma série de medidas para evitar a propagação das fakes news ou noticias falsas referentes a candidatos, partidos e a urna eletrônica.

Uma das medidas propostas foi a parceria inédita com o Facebook Brasil o WhastApp. Estará disponível, nos dias anteriores à eleição, a ferramenta “Megafone” que irá enviar mensagens aos usuários brasileiros no Feed de Notícias sobre as eleições de 2020. No caso do WhastApp, a denúncia de alguma mensagem recebida pode ser feita através de um formulário.

No período de 27 de setembro a 26 de outubro, o canal com o TSE recebeu 1037 denúncias, sendo 17 descartadas por não estarem relacionadas às eleições. Os dados foram enviados ao WhatsApp para que seja verificado se as contas indicadas violaram seus Termos de Serviço.

As propostas têm como objetivo barrar o compartilhamento de notícias falsas, prática que prejudica a votação e compromete o processo democrático. Uma vez que muitas das veiculadas se referem à segurança da urna eletrônica.

Porém, a participação da população é de suma importância para a não propagação das fake news. Por isso, a equipe do Correio do Povo desenvolveu um passo a passo para que você saiba como denunciar um conteúdo suspeito, além de um tutorial de como denunciar irregularidades de campanha no aplicativo Pardal, desenvolvido pela Justiça Eleitoral.

Os efeitos da desinformação são o tema do quarto episódio especial Eleições do podcast Matriz que tem a participação dos jornalistas Mauren Xavier e Henrique Massaro.

Ouça:


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895