Vacinação de adolescentes é discutida no Ministério da Saúde

Vacinação de adolescentes é discutida no Ministério da Saúde

Rio Grande do Sul vai esperar definição das pasta e não pretende seguir São Paulo

Correio do Povo

Brasil começa a ver uma luz no fim do túnel com a vacinação caminhando no país

publicidade

O Brasil começa a ver uma luz no fim do túnel com a vacinação caminhando no país. E neste final de semana o governador de São Paulo deu um grande salto nas expectativas de dias melhores: João Dória antecipou as doses para adultos e anunciou o início da aplicação de vacinas em adolescentes. A partir de 23 de agosto, o Estado deverá começar a imunizar pessoas entre 12 e 17 anos.  A decisão vai contra a indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS). O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom, sugeriu que, neste momento, os países doassem as doses de vacinas ao países mais pobres em vez de aplicar em crianças e adolescentes.

No Brasil, no dia 11 de junho, A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a aplicação da vacina Pfizer em pessoas acima dos 12 anos, baseado nos resultados de estudos feitos pela farmacêutica fora do país. Pela pesquisa, a eficácia do fármaco entre adolescentes de 12 a 15 anos é de 100%. O estudo clínico foi feito com 2.260 voluntários. Um grupo recebeu placebo e 18 pessoas foram infectadas. O outro recebeu o imunizante e ninguém ficou doente.

Com o anúncio do maior estado do Brasil, cria-se a expectativa de que outras unidades federativas sigam a mesma linha e de que haja uma orientação nacional por conta das autoridades federais. À repotagem, o Ministério da Saúde informou que essa ampliacçào está em discussão na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis.

Ela é composta por representantes deste ministério e de outros órgãos governamentais e não governamentais, assim como Sociedades Científicas, Conselhos de Classe, especialistas com expertise na área, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). O Direto ao Ponto discute as expectativas para esse início.

Ouça:

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895