Viveiro da Cidadania: economia, sociedade e meio ambiente em um projeto do cooperativismo
CONTEÚDO PATROCINADO
Correio + Conteúdo

Viveiro da Cidadania: economia, sociedade e meio ambiente em um projeto do cooperativismo

Projeto de inclusão social do sistema cooperativismo na educação

COLABORE

Viveiro na APAE de Passo Fundo

publicidade

Um termo de compromisso entre Cotrijal e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Passo Fundo garante a execução de um grande projeto de inclusão social do sistema cooperativismo na educação, o Viveiro da Cidadania. São 20 colaboradores contratados pela Cotrijal que desenvolvem atividades teóricas e pedagógicas sobre desenvolvimento sustentável, ecologia, educação ambiental, cidadania e cooperativismo para os alunos da escola.

 E as atividades não são apenas teóricas. Ações práticas envolvem semeadura, irrigação, poda e acondicionamento das plantas, o que garante a existência e manutenção do viveiro. São 10 mil mudas de eucalipto, ipê-roxo e amarelo, angico, pitanga e guajuvira. A presidente da Apae, Maria do Carmo Ortolan Grazziotin, revela que a entidade possui várias parcerias, mas nada foi tão empolgante do que este projeto que, dentre muitos outros benefícios, gera emprego para os usuários e para o próprio espaço da escola.

As atividades do Viveiro de Cidadania são realizadas no mesmo local onde a Apae de Passo Fundo atende aos seus usuários.O projeto acolhe 20 usuários da Apae e os coloca no mercado de trabalho como funcionários da cooperativa, com o foco na produção de mudas de árvores.

Júlio César Teixeira Amarante, de 39 anos, realizou através da Cotrijal o sonho de ingressar no mercado de trabalho. “Somos associados da cooperativa, temos a Cotrijal presente no nosso dia a dia na lavoura e agora realizando o nosso maior sonho, ver o ‘Julinho’ trabalhar e ganhar o seu próprio dinheiro”, conta Jussara, a mãe de Júlio. Ele sofre de paralisia cerebral e desde os primeiros anos de vida frequenta a Apae de Passo Fundo. A família de agricultores vive no interior de Coxilha e logo que o projeto Viveiro de Cidadania abriu espaço para receber os novos colaboradores, a ideia foi que Júlio participasse.

O presidente da Cotrijal, Nei César Manica, lembra que o projeto surgiu da ideia de reativar o trabalho com o viveiro que a cooperativa mantinha antigamente para produzir mudas para os associados. “Essas plantas estão sendo produzidas com um diferencial, muito carinho e amor, e, por isso, vão crescer mais fortes do que as plantas nativas que temos na região”, afirmou. As ações são realizadas em parceria com o Sescoop/RS.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895