“Precisamos criar cultura de proteção de dados”, diz presidente da ANPD em evento promovido pelo CP

“Precisamos criar cultura de proteção de dados”, diz presidente da ANPD em evento promovido pelo CP

Especialistas consideram que tema precisa vencer o desconhecimento das pessoas

Christian Bueller

Proteção de dados é tema de debate promovido pelo Correio do Povo

publicidade

O Correio do Povo promoveu, na manhã desta quinta-feira, o painel “LGPD: o que mudou na vida e nas empresas?”, sobre a Lei Geral de Proteção de Dados, em vigor desde o início de setembro. A legislação estabelece regras sobre o uso dos dados pessoais dos brasileiros. O evento, com condução do jornalista Guilherme Baumhardt, foi transmitido nas redes sociais do jornal e contou com a participação de Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, diretor-presidente da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão responsável pela regulamentação e fiscalização da lei.

Para Ortunho Júnior, a nova lei é importante para mudar a cultura de proteção de dados no Brasil. “É algo extremamente novo, para pessoas e empresas, temos que vencer este desconhecimento. Na Europa, o assunto já é tema de discussão desde 1995. Aqui, após oito anos de debates no Congresso Nacional, houve a aprovação da lei”. Sancionada ainda no mandato do presidente Michel Temer, em 2018, a lei valeria no ano passado, mas o governo federal atual decidiu dar mais um ano para as empresas se adaptarem. “Estamos participando de todos os debates possíveis para conversar com os mais diversos atores da sociedade. Explicar que se trata de uma lei segura e que os dados são o ‘novo petróleo’, as pessoas precisam entender o quão valioso eles são”, explicou o presidente da Autoridade.

Veja Também

Apesar de uma estrutura enxuta, nascida durante a pandemia, a ANPD tem compartilhado informações com outras agências reguladoras, no país e no exterior. “Apesar de ser uma lei bastante inspirada na lei europeia, há diferenças entre o Brasil e outros países. Estamos fazendo articulações e acordos, país a país. Na próxima segunda-feira, por exemplo, estamos estreitando relações com a autoridade espanhola. Já, nos Estados Unidos, é diferente, não há uma lei geral lá, mas faremos um acordo em 2023”, conta Ortunho Júnior, que relatou a linha do tempo da Autoridade que precisou “começar tudo zero” em 6 de novembro. Temos cinco diretores e apenas 53 pessoas, tendo 65 artigos para normatizar. Mas não ficamos no discurso do ‘estamos trabalhando’, quando vem alguma demanda da nossa ouvidoria, procuramos resolver”, diz.

O presidente da ANPD reiterou a transparência do trabalho, que buscará o equilíbrio. “A liberdade de expressão tem que ser mantida, não podemos ser um órgão repressor”, salientou. Para isso, Ortunho Júnior explicou que haverá flexibilidade para micro e pequenas empresas, mas com responsabilidade e que sanções serão as últimas providências. “Assim que ocorrer um vazamento, a primeira coisa é analisarmos um relatório de impacto para aferir determinados riscos. Mas se pedirmos para uma startup familiar contratar alguém para fazer isso, poderemos acabar com ela antes de se desenvolver. Todos têm que ter responsabilidade sobre os seus dados, mas não é justo exigir da mesma forma que uma empresa gigante como o Google, por exemplo”, esclareceu. 

Ao fim de sua participação no painel, Ortunho Júnior deu um exemplo de como não podemos descuidar dos dados pessoais. “Se chegamos em uma cidade nova, começamos a receber anúncios comerciais no celular, que nem sabemos como chegaram até nós. Este tipo de propaganda dirigida é ilegal. Por isso, temos que debater bastante este tema de forma educativa para criar uma cultura de proteção de dados no Brasil”, frisou.

Para o presidente e CEO da Explorer Business Center, Andre Fraga, o evento foi positivo e oportuno. “O importante é trazer o assunto de forma pedagógica. Vimos, pela fala do presidente da ANPD que não haverá um caos, um travamento econômico. O dado pessoal é do titular, não das empresas, que precisarão ver como vão tratar estes dados. Já temos falado isso aos nossos clientes desde o ano passado e a população precisará entender”, conta Fraga. 

O presidente do Correio do Povo, Sidney Costa, lembrou que a LGPD ainda assusta por conta do desconhecimento geral da população, mas o jornal tem na sua história um currículo de debates que trazem esclarecimentos à sociedade. “A LGPD mexe com a estrutura econômica do país, com as empresas, geradoras de riqueza. Este evento, mais uma vez, mostra a força do Correio do Povo, ao promover debates de tão grande relevância. Nosso slogan é ‘Informação é o que nos conecta’ e, novamente, isso foi provado na prática, reforça a nossa vocação como grupo de comunicação”, referiu.

O diretor da Rádio Guaíba, Jefferson Torres, corrobora com o presidente do Correio do Povo. “Há muita dúvida sobre como manusear estes dados. Quais as finalidades? Quais os riscos? Então, essas perguntas foram trazidas para próximo do público. Estamos com nossos canais e toda a nossa equipe à disposição de eventos desta natureza”, salientou.

O presidente do Grupo Record RS, Carlos Alves, reiterou o papel da lei em proteger os titulares dos dados e a possibilidade de trazer o presidente da ANPD para o painel promovido pelo jornal. “O tema foi abordado de maneira clara e transparente para um público que tem interesse em saber como agir com os dados que as empresas recebem e como tratar essas informações. Para o Grupo foi muito importante e o objetivo, daqui por diante, é esclarecer o que é a LGPS cada vez mais para o empresariado e para a população”, relatou.

O painel ocorreu no centro de eventos do Centro de Integração Empresa Escola do Rio Grande do Sul (CIEE-RS), apoiador do evento assim como a Explorer Business Center, Sabemi e 2cloud - A Nuvem Premium. O vídeo pode ser conferido no canal do YouTube do CP.

GUIA LGPD

O especialista em Governança e Riscos e diretor da Comply, Allan Kovalscki, que participou de um bate-papo com Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, elaborou o Guia LGPD do Correio do Povo, em que explica todas as mudanças já em vigor e qual o impacto destas novas regras no cotidiano dos usuários e das empresas. 

Para fazer o donwload do Guia LGPD basta clicar aqui.

Também é possível ler abaixo:


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895