Hamilton vai para pressão na Red Bull e crava pole no GP da Hungria

Hamilton vai para pressão na Red Bull e crava pole no GP da Hungria

Verstappen não conseguiu responder às Mercedes no treino e tenta tática diferente na corrida

Bernardo Bercht

Britânico ensaia troco na luta do campeonato

publicidade

Lewis Hamilton desbancou a Red Bull e apontou de vez para uma recuperação da Mercedes em 2020.  O britânico cravou sua pole-position 101 na carreira com boa vantagem e ainda aumentou a pressão do jogo psicológico para cima de Max Verstappen na disputa do título, que vai largar apenas em terceiro. Valtteri Bottas fechou a primeira fila para a Mercedes.

O Q3 adicionou um capítulo à polêmica entre os dois rivais, já que na última tentativa de ambos, Hamilton segurou a abertura da sua volta e obrigou Verstappen também a tirar o pé antes de abrir volta. O holandês ainda melhorou um pouco seu tempo, mas não foi o suficiente para superar qualquer uma das Mercedes.

Sérgio Perez dessa vez conseguiu alinha a outra Red Bull na segunda fila, e a trifeta energética terá Pierre Gasly em quinto com a AlphaTauri. O sexto foi Lando Norris, salvando um fim de semana até então bem complicado para a McLaren e se colocando à frente de Charles Leclerc da Ferrari. As Alpine pareciam que iam incomodar mais, só que Esteban Ocon bateu no teto em oitavo e Fernando Alonso piorou sua marca no Q3 para largar em nono. Sebastian Vettel chegou mais uma vez ao Q3, com o 10º tempo.

O Q2 também trouxe decisões que podem definir a corrida, porém. De última hora, a Red Bull optou por colocar Verstappen de pneus macios para sua volta, enquanto as Mercedes partirão de compostos médios. O holandês deve tentar uma arrancada melhor para tomar a ponta, só que a tática de corrida mais eficiente deve ser de Hamilton. A escolha gerou resultados curioso, como Fernando Alonso fechando volta em quinto, na frente das Mercedes; algo que não se via há uns sete anos.

A frustração da etapa coube ao ainda problemático Daniel Ricciardo. O australiano não achou ritmo na McLaren e foi apenas o 11º, sendo derrubado por Sebastian Vettel nos momentos derradeiros da sessão. Lance Stroll ficou em 12º com a outra Aston Martin, seguido das duas Alfa Romeo, com Kimi Raikkonen fazendo seu melhor qualify em tempos. Carlos Sainz bateu, provocou bandeira vermelha e ficou em 15º.

A degola do Q1 teve mais uma frustração para o japonês Yuki Tsunoda. O piloto não achou ritmo com a AlphaTauri e terá todo o trabalho do mundo para pontuar. George Russell, dessa vez, não conseguiu feitos heroicos de treino com a Williams. Parte em 17º.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895