Racismo impune

Racismo impune

Vejo muitas campanhas contra o racismo. E nada de punição pesada na prática. Ficamos na fase dos discursos.

publicidade

A Polícia Civil do Rio deve concluir em breve o inquérito sobre o caso de racismo durante o jogo Inter e Corinthians. 
O lateral direito Rafael Ramos foi preso em flagrante no estádio Beira-Rio acusado de ter chamado Edenílson de 'macaco'. 
Como os casos da racismo são tratados no Brasil?
Felipe Nascimento tem 23 anos. 
Ele fez a denúncia de gestos racistas de Leonardo Ponzo, torcedor do Boca Juniors, durante um jogo contra o Corinthians na Neo Química Arena.
Felipe em entrevista para o site do Glogo: 
“Se eu falar que ele iria ser liberado na minha frente, você não acredita. Assim que a gente chegou no DOPE, o pessoal do consulado argentino chegou também, e eles fizeram um baita alvoroço. O homem só não foi liberado na hora porque os caras não tinham R$ 3 mil à vista. Deram uma parte  e foram sacar o resto. 
Fiquei revoltado, estava do lado do cara. Ele não ficou numa cela. 
O que mais me deixou irritado foi que, quando eu fui depor, ele não estava como um réu. A situação dele estava resolvida, e a minha, não”.
Vejo muitas campanhas contra o racismo. 
E nada de punição pesada na prática.
 Ficamos na fase dos discursos. 
O BABACA AINDA RIU
Vejam o caso do torcedor do Boca citado acima e preso por racismo. 
Ele ainda sorriu depois em foto com emoji de macaco. 
Pagou R$ 3 mil e debochou. Deveria ter sido algemado e levado para conhecer as cadeias de São Paulo. 
Gastar uma pequena fortuna com advogados para conseguir sair. O Boca repudiou o gesto? E daí? Resolveu alguma coisa?


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895