Cuidado especial

Cuidado especial

Alina Souza

Práticas Integrativas e Complementares na Clínica da Família Campo da Tuca.

publicidade

A modernidade, metódica nos detalhes, já propiciou inúmeros avanços em relação à saúde mundial. Todavia, trouxe um corpo em pedaços, uma tendência a examinar as partes sem colocá-las lado a lado. Seria fácil se não fôssemos um todo feito de reflexos, reverberações. Às vezes um ponto inflama porque outro (difícil de ser delimitado) conclama cuidado especial. Tratar também envolve canalizar as energias sob tecidos e nervos, abrir minutos de silêncio e relaxamento, despertar a criatividade através da qual a vida se recombina, já não mais em fatias: íntegra, decidida a inspirar todo o ar que cabe na alma. Eu vi tal contexto terapêutico na Clínica da Família Campo da Tuca. Amanda Dellanhese, enfermeira gerente, explicou que ali são feitas atividades de meditação, arteterapia, reiki, horta comunitária, escalda-pés etc. São as chamadas Práticas Integrativas e Complementares, institucionalizadas no SUS desde 2006. Dessa forma, enraiza-se a compreensão de que a saúde vai muito além das extensas listas de remédios. Significa também estimular a ajuda mútua, a construção social de novos caminhos para a cura. Um corpo por inteiro que confecciona flores coloridas a partir de retalhos, consciente que seus fragmentos são indissociáveis.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895