“Mães de Verdade”

“Mães de Verdade”

Drama familiar japonês fala sobre adoção e amor incondicional.

Chico Izidro

O casal Kiyokazu Kurihara e Satoko adota o pequeno Asato e terá problemas com a mãe dele

publicidade

Baseado romance “Asa ga Kuru”, de Mizuki Tsujimura, de 2015, e com roteiro de Naomi Kawase, com Izumi Takahashi e An Tôn Thât, “Mães de Verdade”, dirigido pela própria Kawase, é um drama familiar japonês, que fala sobre adoção e amor incondicional.

O casal Kiyokazu Kurihara (Arata Iura) e Satoko (Hiromi Nagasaku) não conseguem ter um filho, pois ele é estéril, e infelizes, estão prestes a se separar.

É quando assistindo a um programa de TV descobrem uma instituição que ajuda na adoção de bebês cujas mães não têm como criá-los. Então eles adotam um garotinho, Asato (Reo Sato). Mas seis anos depois, o casal recebe uma ligação de uma mulher chamada Hikari Katakura (Aju Makita), alegando ser a mãe biológica de Asato. E ela diz querer seu filho de volta, e se eles não quiserem devolver o menino, Hikari exige em troca uma alta quantia de dinheiro.

A trama vai e volta no tempo, mostrando tanto a vida do casal, quanto a vida de Hikari, desde os seus 14 anos, com sua família e seu primeiro namorado, até chegar a fase adulta, mostrando o porque dela ter desistido de Asato, e como fez para sobreviver durante todos esses anos.

“Mães de Verdade” poderia, facilmente, ter enveredado pelo lado do dramalhão, mas a diretora consegue fugir de todas as armadilhas, e ao mesmo tempo que faz um filme sensível, o faz com sabedoria, contando com boas atuações de seus atores. O filme tem mais de duas horas, e passa voando.

Filme está cinemas brasileiros, nas cidades de São Paulo e Brasília.

Leia demais posts do blog


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895