Chegou o carro voador

Chegou o carro voador

AirCar decolou e posou na rua, num trajeto de 100 quilômetros na Eslováquia

Renato Rossi

publicidade

O voo durou exatos 35 minutos. No ar estava uma mistura altamente tecnológica dos modais de transporte aéreo e terrestre, na simbiose de carroceria e fuselagem do AirCar. Um carro voador que tem mais de 40 horas em testes privados e que na segunda-feira se transformou em visão pública, já que milhares de pessoas acompanharam o AirCar decolar e posar na rua, num trajeto de 100 km entre as cidades de Nitra e Bratislava, na Eslováquia. 

O carro voador nasceu da determinação do engenheiro mecânico e eletrônico eslovaco Stefan Klein. Que tem no currículo a participação em equipes de Pesquisa e Desenvolvimento da Audi, BMW e Volkswagen. A paixão pela aviação levou Klein a ser um piloto de testes para fabricantes de aeronaves experimentais na Europa e nos Estados Unidos. Como piloto de testes acumulou mais de 5 mil horas de voo. O engenheiro criou a Klein Vision, que construiu o primeiro carro voador, o AeroMobil I, em 1989. Depois seguiram o AeroMobil II e o Air Car que, apresentado em 2016, passou por evolução tecnológica até se tornar o modelo final que voou agora.

O AirCar, com um motor de 300 HP, tem autonomia de 1.000 quilômetros, chega aos 300 km/h e à altitude de voo de 2.500 metros. Para decolar necessita de uma pista de 200 metros. O treinamento para pilotar o AirCar é realizado em três dias. 

Se o voo na segunda-feira chamou atenção da imprensa mundial, em 2040 o carro voador será um amplo mercado, com centenas de modelos, avaliado em 1,5 trilhão de dólares. Não é somente o AirCar que voa. A General Motors tem um Cadillac com esta tecnologia, e a Hyundai realiza testes com o “táxi voador”, que será lançado em 2023. No entanto, há o desafio legal para o carro voador. Uma legislação que propicie que seja utilizado em total segurança.

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895