Futuro sem petróleo

Futuro sem petróleo

Montadoras anunciam estratégias de produção direcionadas a neutralizar o carbono

Renato Rossi

publicidade

Não tem futuro o petróleo. E marca após marca anuncia as suas estratégias que definem um futuro sem petróleo e neutro em carbono. A poderosa Renault já declarou que reduzirá drasticamente a produção de motores a combustão até 2025. Em 2030, a montadora não terá mais motores a gasolina e diesel. Atualmente, os carros da Renault utilizam oito famílias essenciais de motores. Com quatro motores a gasolina, três motores a diesel e um motor elétrico que alimenta a linha eletrificada. 

O terrível aquecimento global define leis ambientais cada vez mais rígidas. Ele desertifica o planeta, gera seca e fome para bilhões de seres humanos. A Terra é hoje um lugar hostil para a sobrevivência humana. Com mais três ou quatro graus centígrados de aquecimento será melhor viver em Marte. E reze quando encontrar o seu vizinho marciano. Talvez não se possa confiar em alienígenas que dirigem mal seus discos voadores. Basta olhar para o céu.

No dia 9 de junho, a Renault lança no Brasil o SUV Captur, reformulado no design e na tecnologia. O veículo tem a novidade do motor turbinado 1.2 com três cilindros, que pode render mais de 300 HP. Aquele que comprar o novo Captur, quem sabe ficará com esta “relíquia pré-elétrica” a partir de 2035. Quando 90% da frota global será ligada na tomada e apenas alguns poucos híbridos restarão. 

Grandes marcas como a Stellantis, Ford, General Motors, Honda e Volvo já marcaram a data para o fim do petróleo. A Volvo esta mais próxima de ser totalmente elétrica: não produzirá mais nada a gasolina a partir de 2030. Coitadinhos dos xeiques do petróleo, terão que trabalhar. Quem sabe serão “chapeiros” em lanchonetes na beira do deserto, onde o cheeseburger sempre vem com areia.

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895