Chile levanta estado de exceção após 19 meses de pandemia

Chile levanta estado de exceção após 19 meses de pandemia

Presidente Sebastián Piñera atribuiu medida a melhora no cenário do combate à pandemia no Chile

AFP

Piñera atribuiu suspensão do estado de exceção aos bons números no combate à pandemia

publicidade

O Chile anunciou, nesta segunda-feira, que o estado de exceção decretado em 18 de março de 2020 em razão da pandemia de coronavírus será levantado na sexta-feira, depois de 19 meses, finalizando também o toque de recolher noturno. “Decidimos não renovar o estado de exceção”, disse o presidente Sebastián Piñera em um breve discurso.

Ele indicou que a medida “foi necessária para dotar o Chile de maiores e melhores ferramentas para combater a pandemia”, porque permitia “restringir a liberdade e a mobilidade das pessoas, por meio de medidas como quarentenas, cordões sanitários e toques de recolher”.

O estado de exceção permitiu mobilizar as Forças Armadas em tarefas de controle e fiscalização das medidas restritivas e do toque de recolher noturno, cujo horário foi variando dependendo da evolução dos casos de Covid-19. “Durante os últimos três meses, graças à colaboração da cidadania e das políticas públicas adotadas, a situação sanitária e o controle da pandemia evoluíram favoravelmente, com uma redução muito significativa dos contágios, casos ativos, hospitalizações e mortes”, acrescentou Piñera.

O Chile registra atualmente uma média de 500 casos novos e cerca de 12 mortes por dia, acumulando mais de 1,6 milhão de casos e 37 mil mortes desde que se detectou o primeiro caso de Covid-19 no país, em 3 de março de 2020.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895