Ministério aprova dose de reforço para profissionais de saúde

Ministério aprova dose de reforço para profissionais de saúde

O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. A recomendação é que se utilize a Pfizer para a dose reforço

R7

Os profissionais de saúde foram incluídos no primeiro grupo a se imunizar no Brasil

publicidade

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou, nesta sexta-feira, a ampliação da dose de reforço para os profissionais de saúde. A Pfizer será usada nestes casos, de forma preferencial. Caso não haja disponibilidade, a AstraZeneca também é admitida pela pasta. Para receber essa aplicação adicional, valem as mesmas regras já aprovadas no caso de idosos e pessoas imunossuprimidas: é preciso ter pelo menos seis meses de diferença desde a segunda dose.

Como os profissionais de saúde foram incluídos no primeiro grupo a se imunizar, com início da campanha em janeiro de 2021, boa parte da categoria já pode procurar os postos para se vacinar.  No entanto, o Ministério da Saúde tem destacado a necessidade dos estados e municípios seguirem os cronogramas determinados a partir das notas técnicas que acompanham o envio de cada uma das remessas de vacinas. Nelas, a pasta detalha para qual público deve ser destinado os novos lotes.

Veja Também

Portanto, os entes federados ainda não receberam doses para a imunização de reforço dos profissionais de saúde. A previsão, segundo a pasta, é que essa nova remessa seja enviada já na próxima semana. A mensagem foi publicada por Queiroga pelas redes sociais. "Essa já é a maior campanha de vacinação da história do Brasil", disse o ministro. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895