Aceleração de contaminação Covid-19 em 2021 levou RS ao milhão de casos

Aceleração de contaminação Covid-19 em 2021 levou RS ao milhão de casos

Em apenas dois meses deste ano, mais de 330 mil pessoas foram diagnosticadas com a doença

Felipe Samuel

RS ultrapassou marca de 1 milhão de casos de Covid-19 nesta sexta

publicidade

O agravamento da pandemia do novo coronavírus este ano no Rio Grande do Sul se reflete no número de casos confirmados para a doença. Nesta sexta-feira, o estado ultrapassou a marca de 1 milhão de infectados. A disseminação do vírus, principalmente entre fevereiro e março, acelerou o contágio em pouco tempo. Em apenas cinco meses, com 500.059 casos confirmados, o RS quase igualou o número de infectados de 2020 - que totalizou 503.006.

De acordo com dados do Painel Coronavírus RS, 334.044 pessoas foram diagnosticadas com a doença em apenas dois meses: no período de 1º de fevereiro a 31 de março. Os casos confirmados no período equivalem a 66,8% do registrado este ano.

Ano de 2021 é o mais letal

Com mais 139 mortes registradas nas últimas 24 horas, o Estado contabiliza 25.807 óbitos por conta da doença desde o início da pandemia. O ano de 2021 também é o mais letal, com 16.597 vítimas fatais, ou seja, 64,31% do total.

Após um ano e dois meses, os leitos de UTI no RS seguem em patamar de ocupação elevado. Com 2.694 pacientes em estado grave - em 3.382 leitos disponíveis -, o índice geral era de 79,6%, menor da semana, conforme a SES. As internações por Covid-19 registravam queda pelo quarto dia seguido, com 1.667 casos confirmados, menor número desde 28 de fevereiro, quando havia 1.595 pacientes com diagnóstico da doença.

Veja Também

Em Porto Alegre, pela primeira vez na semana, lotação ficou abaixo de 90%, conforme a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Com 806 hospitalizações, a taxa era de 87,04%. Do total, 426 pacientes tinham diagnóstico da doença, menor número desde 25 de fevereiro, quando tinham 402 casos confirmados. Dos 18 hospitais monitorados pela SMS, cinco operam no limite ou acima da capacidade máxima.

Formação de comitê

Com a expectativa de que o novo modelo de distanciamento controlado do Governo do Estado garanta maior autonomia a gestores municipais, os integrantes do Conselho Multissetorial para o Enfrentamento à Covid-19 (Comue-Covid) da Prefeitura se reuniram por videoconferência para avaliar o cronograma de vacinação e a ocupação das UTIs da Capital.

O secretário Extraordinário de Enfrentamento da Covid-19, Cesar Sulzbach, afirma que nos próximos dias deverá ser implementada a Comissão Temática de Saúde. “A nossa expectativa é que o novo modelo do Estado dê mais liberdade aos gestores municipais. As comissões irão auxiliar a prefeitura nas análises e decisões. Queremos atuar efetivamente, sempre com muita responsabilidade, para que não ocorra o abre e fecha das atividades econômicas”, observa.

Ao avaliar o cenário atual das hospitalizações na Capital por conta da Covid-19, o diretor da Atenção Hospitalar e Urgências da Secretaria Municipal de Saúde, João Marcelo Lopes Fonseca, relata que ainda é preciso ter cautela. Até a tarde de sexta, conforme a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), mais da metade dos pacientes em UTIs tinham diagnóstico para Covid-19. “Os números estão melhores, mas é preciso ter cautela e seguir com os cuidados dos protocolos sanitários”, enfatiza Fonseca.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895