Colômbia assusta com golaço, mas Brasil vence de virada na Copa América

Colômbia assusta com golaço, mas Brasil vence de virada na Copa América

Seleção foi para cima na segunda etapa e manteve campanha 100% com 2 a 1

AE

Seleção vibrou com virada tardia

publicidade

O Brasil teve nesta quarta-feira seu primeiro teste verdadeiro na Copa América. E sofreu bastante. Encarou uma forte marcação da Colômbia, levou um gol logo no início, penou para empatar e só virou aos 54 minutos do segundo tempo. A Seleção continua com 100% de aproveitamento no Grupo B, com 9 pontos após 3 partidas.

Os planos se complicaram logo aos 9 minutos de jogo. Foi quando a Colômbia saiu na frente no placar, com um gol de rara beleza. Cuadrado cruzou na direita e Luis Díaz, atrás da marcação, acertou um belíssimo voleio, sem chances para Weverton, que nesta quarta foi titular dentro do rodízio instituído por Tite.

O gol permitiu à Colômbia maior conforto dentro de sua proposta de jogo. O técnico Reinaldo Rueda montou duas linhas de quatro e passou a se defender bem atrás. Dava campo para o Brasil até a intermediária, mas dali em diante era muito difícil passar. Neymar era marcado por até três adversários, o que dificultava suas arrancadas. As tabelas também eram desmanchadas. O jogo pelas beiradas não saía, porque os laterais colombianos jogavam bem atrás e os laterais brasileiros não tinham espaço para avançar.

Na frente, Richarlyson e Gabriel Jesus movimentavam-se menos do que o necessário neste tipo de jogo. E Everton Ribeiro, quando fechava pelo meio, não conseguia ser produtivo. O Brasil ficava mais tempo com a bola, mas nada criava de efetivo. Tanto que não teve nenhuma chance clara de gol na etapa. Richarlison foi quem mais se aproximou, mas numa ocasião cruzou na mão do goleiro Ospina, na outra pegou de ombro uma bola que lhe dada de cabeça por Neymar e na terceira teve o chute travado.

A dificuldade de impor seu jogo teve outra consequência para a seleção: o nervosismo. Tite, então, mudou no intervalo. Colocou Firmino no lugar de Everton Ribeiro. Com isso, o jogador do Liverpool se aproximou mais de Neymar pelo meio e Gabriel Jesus, na direita, e Richarlison, na esquerda, passaram a ficar bem abertos.
O Brasil ficou um pouco mais incisivo, mas a Colômbia se manteve bastante fechada, pois, em vantagem no marcador, preferiu tentar segurá-la do que buscar uma ampliação do resultado e correr riscos.

A Seleção passou a "martelar", teve duas boas chegadas com Neymar, um chute de Danilo para fora e algumas investidas pelos lados em que os cruzamentos na área paravam nos cortes dos zagueiros colombianos. Mas o time não conseguia jogar em velocidade, porque o posicionamento colombiano impedia.

Tite mudou de novo, na tentativa de deixar o time mais ofensivo. Trocou um lateral mais marcador, Alex Sandro, por um que joga mais avançado, Renan Lodi. Rueda respondeu fechando ainda mais a Colômbia, com a colocação de um volante, Cuellar, no lugar de um atacante, Borre.

Ainda assim, a Seleção quase empatou aos 20. Neymar chegou a passar por Ospina, mas o chute parou na trave. O principal jogador do Brasil, nessa altura, jogava bem avançado. E o empate acabou saindo quando Tite já havia feito mais duas alterações, colocando Gabriel Barbosa e Everton para dar mais força e fôlego ao time.

O gol foi em jogada da dupla que havia entrado antes. Lodi cruzou, Firmino cabeceou e contou com a falha de Ospina. Como no início do lance a bola havia tocado em Nestor Pitana, o árbitro esperou o VAR checar o lance para confirmar o gol, o que motivou bastante reclamação dos colombianos, depois de sete minutos.

O jogo teve muita catimba, muita reclamação, e pouco de bola rolando. Mas ainda deu tempo de o Brasil virar. Aos 54 minutos, Neymar cobrou escanteio e Casemiro aproveitou o vacilo da defesa para marcar de cabeça.
No domingo, a Seleção encerra sua participação na primeira fase, enfrentando o Equador.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895