Renato enaltece vitória do Grêmio e minimiza atrito com Maicon

Renato enaltece vitória do Grêmio e minimiza atrito com Maicon

Jogador saiu incomodado por cobranças do técnico no segundo tempo e foi direto para o vestiário

Correio do Povo

Grêmio cresceu a partir das mudanças no segundo tempo

publicidade

Ainda que com bastante dificuldades, principalmente na primeira etapa, o Grêmio venceu o Red Bull Bragantino por 2 a 1 na Arena, nesta segunda-feira, e subiu para 8ª colocação do Brasileirão. Segundo o técnico Renato Portaluppi, que reconheceu seu time pouco inspirado no começo, o mais importante foi a vitória e a presença gremista entre os 10 primeiros colocados. 

"O mais importante de tudo é termos vencido. Hoje, o Grêmio já se encontra entre os primeiros colocados, 8 pontos atrás do líder e com uma partida a menos. Eu falei para vocês que estaríamos entre os primeiros no final do primeiro turno", destacou. "Muita gente cobra o futebol bonito e esquece do resultado. O futebol bonito, hoje, no Brasil, vocês tem que cobrar de duas equipes: Flamengo e Atlético Mineiro. Pelo que gastaram, tem obrigação. Se um dia a diretoria falar, olha Renato você tem R$ 200 milhões para contratar, aí vocês podem me cobrar. Eu quero jogar bonito, mas vamos ter altos e baixos", disse na entrevista coletiva após o jogo. 

O comandante gremista reiterou as razões que lhe fizeram escalar a equipe com Robinho desde o começo da partida. "O Robinho é um jogador que foi contratado para nos ajudar. Segurei o Isaque, temos mais uma partida decisiva quinta-feira. Todo mundo roda no Brasil, não sei porque essa pergunta sempre", reclamou. "Independente de quem começou o jogo, o mais fundamental foi o triunfo. O jogo hoje era uma carninha de pescoço." 

Atrito com Maicon

A partida desta noite foi marcada também por um desentendimento público entre Maicon e Renato. Aos 15 minutos do segundo tempo, com 0 a 0 no placar, o volante ficou irritado depois de uma reclamação do treinador e pediu para ser substituído. O jogador saiu sem cumprimentar o técnico e foi direto para o vestiário. 

"Ele tinha me pedido para sair e eu disse que ainda não. Que ele seguiria um pouco mais no jogo. Logo em seguida, ele pediu novamente para sair. Mas nada demais. O Maicon é um jogador intenso, não gosta de perder nem os dois toques. Já falamos no vestiário. Naquele momento da partida, a coisa não tava dando certo para gente e ele estava um pouco irritado. Não queria tirar ele, ele já havia me pedido. Ai ele pediu novamente e eu tirei, mas é algo normal no futebol. Importante foi a vitória", explicou Renato. "O dia que eu não tiver comando eu vou embora", acrescentou. 

O treinador insistiu que não tem problemas com seu grupo de jogadores e que as "insatisfações" fazem parte do jogo. "Eu não sou padre. Não tenho time de freiras. Eu tenho um time de homens. Se o jogador não puder se cobrar... eu estou aqui há quatro anos e nunca tive problema com jogador. Vocês não querem discussão? Ou é time de freiras, ou time de mudos." 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895