Queiroga reitera que protocolos para a Copa América são seguros
patrocinado por

Queiroga reitera que protocolos para a Copa América são seguros

Ministro da Saúde afirmou à CPI da Covid que não vê razão para temor de que competição aumentará números da pandemia

R7

Queiroga afirmou que 650 pessoas devem vir ao país por causa da Copa América, mas foi lembrado que mais de 2 mil jornalistas estão inscritos para cobrir a competição

publicidade

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu na CPI da Covid, nesta terça-feira, a realização da Copa América no Brasil, que terá início já neste fim de semana. "O esporte está liberado no Brasil e não existem provas de que essa prática aumente o nível de contaminação dos atletas", afirmou ao ser questionado pelo relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

Ele lembrou que outras competições de futebol, como o Campeonato Brasileiro, Taça Libertadores e a Copa Sul-Americana estão ocorrendo normalmente no país. "Os exames de RT-CPR ocorrem independentemente de futebol. O transporte dos jogadores nos ônibus ocorre de maneira controlada, com equipamentos de proteção e face shields. Eles saem do ônibus e vão para um hotel. Lá ficam isolados num quarto", comentou.

"Não consta que essa prática aumente o risco de jogadores e dos membros da comissão técnica", acrescentou. Segundo Queiroga, o Campeonato Brasileiro de 2020 teve 102 jogos e não trouxe problemas para a pandemia.

Lembrado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) que houve no Brasileirão do ano passado o registro de 320 casos, Queiroga respondeu que apenas uma transmissão ocorreu em campo. O ministro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro pediu para ele avaliar o protocolo de segurança da competição.

Ele garantiu também que ocorrerá a fiscalização das autoridades sanitárias dos municípios em que a Copa América será realizada (Goiânia, Rio de Janeiro, Cuiabá e Brasília). "Eu não vejo do ponto de vista epidemiológico uma justificativa que fundamente a não ocorrência do evento. Agora, a decisão de fazê-lo não compete ao Ministério da Saúde."

Queiroga observou que todos os atletas têm seguro. Caso sejam infectados, diz o ministro, vão usar o serviço particular de saúde. "Não haverá público nos estádios, então não haverá aglomerações. O risco de contrair a covid-19 será o mesmo com ou sem os jogos."

Queiroga afirmou que 650 pessoas devem vir ao país por causa da Copa América, que começa já neste fim de semana. O ministro foi então lembrado que mais de dois mil jornalistas já se inscreveram para cobrir a competição e preferiu não comentar a informação.

"Esse é um evento pequeno, não é de grandes proporções. Os protocolos apresentados ao ministério são seguros e não trazem riscos de agravamentos dos casos", opinou.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895